Dicionário dos Biker’s

Imagem

Dicionário

Dicionário dos Biker’s

A

Aerodinâmica: Ramo da Física que estuda o comportamento de objetos diante da força do vento.

Alforje: Bolsas presas ao bagageiro traseiro e/ou dianteiro para guardar os objetos de um cicloturista.

Alloy: Liga. Esta liga no caso de bikes de alumínio contem em sua composição outros elementos químicos além do alumínio, o que confere propriedades mecânicas especificas. A liga pode ser propriedade de cada fabricante ou uma liga comercial.

Colaraboração: Christiano Facchini – Eng. Mecânico / Ciclista

Aro: Peça principal de uma roda em que são presos os raios e onde se colocam os pneus.

B

Bar hand: Suporte de apoio às mãos fixado nas extremidades do guidão. Usado especialmente em bicicletas de MTB, porém é apreciado também por cicloturistas. Tem como objetivo aumentar o desempenho do ciclista em subidas.

Bicicleta: Bi=duas rodas + cicleta(ciclos) – Veículo dotado de duas rodas baseado na propulsão humana para locomoção. Contém um sistema de movimento, chamado de relação, que compreende duas engrenagens com rodas dentadas (catraca e pedivela) ligadas por uma corrente e acionadas através dos giros proporcionados pela força do ciclista sobre os pedais.

Bike Trial: Modalidade descendente do BMX que consiste em realizar saltos em veículos ou monumentos com manobras perigosas.

Blocagem: Peça que serve para dar aperto automaticamente, sem o uso de ferramentas. Utilizada em rodas e no canote do banco.

BMX: Sigla para Bike Mountain Cross. Modalidade surgida nos anos setenta que utiliza uma bicicleta com tamanho aro 20” para a prática de saltos e manobras variadas em halfs, rampas e circuitos especiais. Também conhecido como Bicicross.

Bobs: Consiste em saltar parado e deixar os dois pneus no ar. Quanto maior altura melhor. O pulo deve ser feito sem rampa.

Boss: eixos que são usados para a fixação dos freios v-brake.

C

Câmbio: Dianteiro ou traseiro responsável em conduzir a corrente para cima ou para baixo entre as coroas ou catracas para efetuar a troca de marchas.

Caixa de direção: peça que é acoplada ao quadro para fornecer rigidez e movimentação ao garfo.

Canote: Peça que fixa o selim ao quadro.

Cantilever: Sistema de freios em que as tamancas emborrachadas funcionam em forma de um triângulo. Comum em bicicletas de passeio e MTB.

Capacete: Equipamento de segurança obrigatório para proteção do ciclista em caso de quedas e acidentes diversos. Existe vários modelos e para as mais variadas modalidades. Segundo pesquisas, o capacete reduz o risco de gravidade de um acidente em mais de 80%.

Caramanhola: Reservatório preso a um suporte fixo ao quadro para transportar líquidos em geral, utilizada por atletas de ciclismo, MTB e cicloturismo.

Carambola: Acidente que envolve vários ciclistas em uma competição.

Cassete: Conjunto de coroas encaixado no suporte do cubo.

Catraca: Componente que contém engrenagens e mecanismos para permitir a locomoção do ciclista com a bicicleta.

Ciclo-computador: Equipamento eletrônico com várias funções úteis para o ciclista, como velocidade constante, média, máxima, etc. O aparelho é colocado sobre o guidão com um fio elétrico que transmite os dados vindos de uma base com imã presa no garfo e um outro imã preso na roda. Quando o ciclista pedala, os dois imãs se comunicam (geram sinais elétricos + e -) e o computador interpreta a freqüência destes sinais e determina os dados. Obs: O ciclocomputador deve ser configurado corretamente para o tamanho da roda de sua bicicleta, para que os dados sejam exatos.

Cicloturismo: Mistura de ciclo (relativo à bicicleta) + turismo (passeio). Modalidade esportiva que consiste em usar a bicicleta para viagens. O cicloturismo é praticado no Brasil com, principalmente, bicicletas do tipo Mountain Bike, devido ao conforto e praticidade com as bagagens e estradas mal conservadas. Porém, em países da Europa e Estados Unidos é comum o uso de bicicletas tipo Speed.

Cross Country: Modalidade do Mountain Bike que consiste em usar uma bicicleta com, geralmente, garfo com suspensão dianteira e correr em terrenos íngremes com obstáculos variados de subida, descida, lama, areia, trilhas, etc. Também conhecido pela sigla XC.

D

Dirty Jump: Modalidade descendente do BMX que consiste em executar saltos, partindo de uma rampa, com diversas manobras no ar. As peças de uma bicicleta de Dirty Jump são mais reforçadas que as de bicicross tradicionais.

Doping: Substância química e orgânica proibida em todas as modalidades esportivas. O doping altera o funcionamento normal do organismo, possibilitando entre outras coisas, a anulação do ácido lático (resíduo do trabalho dos músculos), eliminando câimbras e distensões. Os dopings podem ser caseiros ou feitos em laboratórios.

DH ou Downhill: Modalidade do Mountain Bike que consiste em usar uma bicicleta com o garfo e o quadro com suspensão para amortecer impactos em terrenos íngremes mas com apenas descida. Parece simples, mas é a mais perigosa modalidade do MTB. É mais conhecido por DH.

Dual Slalon: Prova de Downhill onde dois bikers disputam em séries o menor tempo de descida de um morro ou montanha.

E

Enduro de Regularidade: É uma modalidade genuinamente brasileira, foi inventada em Belo Horizonte, MG, na década de 70, sendo uma prova para motocicleta baseada no rali de regularidade para carros. Podemos realizar o Enduro de Regularidade para Mountain Bike igual ao de motocicleta, Esta modalidade consiste em seguir um roteiro desconhecido baseando-se em uma planilha e obedecendo as velocidades médias indicadas. Vence a prova o atleta que perde menos pontos e não quem percorre o roteiro em menor tempo.

Ergo Power: Conjunto que compreende manetes de freios e alavancas de troca de marcha. Semelhante ao STI.

F

Firma-pé: Peça extensora do pedal que prende o pé através de uma correia com presilha. Também proporciona mais conformo e mais resistência nas subidas. Usado por cicloturistas e ciclistas amadores de MTB.

Free Ride: Modalidade vinda do Mountain Bike que consiste em realizar manobras variadas em zonas urbanas, como praças, escadas e ginásios.

Free Style: Modalidade também conhecida como Street. Consiste em usar uma bicicleta tipo BMX para realização de manobras variadas em área especial, como ginásios, quadras e praças.

Full Suspension: Bicicleta dotada de suspensão no garfo. Este tipo de bicicleta é usado principalmente em provas de Downhill, Dual Slalon e Four Cross.

G

Gancheira: Suporte metálico que prende o câmbio traseiro ao quadro. Tem como objetivo ser flexível para evitar a perda de performance caso o câmbio sofra algum impacto.

Giro: É a combinação da relação sincronizada com a rotação das pernas para manter uma velocidade constante e proporcionar melhor desempenho no exercício com a bicicleta. É uma mistura de descanso com pedalada. É o segredo de um bom ciclista para resistir a pedalada em longas distâncias.

GPS: Global Positioning System – Aparelho eletrônico que serve para marcar o ponto exato no mundo, através de rastreamento por satélite. Usado em corridas de aventura e cicloturismo.

H

Hard Tail – Significa “rabo duro”. Tipo de quadro rígido, sem suspensão, onde os impactos sofridos pela parte traseira são absorvidos pelo garfo.

Hour Concourt – Significa algo como “momento da decisão”. Montanha ou serra com alto grau de inclinação e de difícil escalada. Presente em várias etapas do Tour de France, Volta da Espanha e Giro d’Itália. É nesse “momento” que, geralmente, decide-se o vencedor da competição.

Half: Estrutura de concreto em forma de “U”, onde pilotos de dirty jump, bicicross e skatistas realizam manobras aéreas diversas. Também conhecido como vertical.

L

Loop: Consiste em fazer um círculo de cabeça para baixo no ar. Manobra realizada em provas de Dirty Jump. Por ser tão perigosa, é raramente executada. Existem dois tipos de loop: o Front Flip (quando o piloto projeta a dianteira) e Back Flip (quando projeta a traseira).

M

Manguito: Peça do fardamento que cobre os braços como se fosse uma manga de uma camisa. Serve para proteção contra o frio em dias de meia estação, podendo ser removido facilmente.

Manopla: peça de borracha, onde o ciclista coloca a mão fica junto ao guidão e quanto mais macia, mais conforto passa a ter o ciclista.

Mesa: Peça presa ao garfo que firma o guidão.

Movimento Central: Conjunto de peças que fixa o pedivela. Tem a função de suportar os impactos sofridos entre o ciclista e a bicicleta. É também conhecido como eixo selado.

Mountain Bike: Modalidade surgida nos anos setenta por um grupo de ciclistas americanos que modificou as bicicletas para encarar trilhas em florestas e reservas ecológicas. O Mountain Bike é um esporte presente nas olimpíadas e pai de modalidades como downhill, four cross, etc. Também conhecido como MTB.

P

Passista: Profissional do ciclismo especialista em “puxar” a equipe. Geralmente destaca-se em provas de estrada ou contra-relógio. Todo passista deve dar proteção ao sprintista da equipe para ganhar a prova.

Pelotão: Grupo de ciclistas em uma competição. Pelotão Principal é o grupo que tem mais ciclistas.

Pernito: Peça do fardamento que cobre as pernas como se fosse uma calça. Usado em clima frio.

Pedivela: Cada uma das rodas denteadas presentes na catraca e cassete. Cada corôa contém uma quantidade específica de dentes que facilitam na hora da pedalada, tanto na subida, descidas e retas.

Q

Quadro: É a alma da bicicleta. Liga todos os componentes. Disponível nos modelos hard tail, soft tail ou full suspension.

R

Rack: Equipamento que sustenta a(s) bicicleta(s) para transporte em veículos.

Rapid Fire: Significa fogo rápido. Conjunto de peças que compreende câmbios de marchas e manetes de freio para auxilio na prática de Mountain Bike. Criado pela empresa japonesa Shimano, constitui em um dos mais eficientes equipamentos de uma bicicleta, devido à rapidez na troca de marchas.

Relação: É um conjunto de peças que constituem de: pedivela, movimento central, cassete, câmbios, trocadores, freios, corrente, cubos.

Revezamento: É a troca de vácuo entre ciclistas para aumentar o ritmo da competição ou para alcançar o pelotão.

Retorno: É a pancada produzida pelo retorno da mola na suspensão dianteira. Alguns modelos de suspensão têm um sistema para evitar o barulho.

RL: Manobra que consiste em equilibrar a bicicleta com o pneu dianteiro travado e a parte traseira suspensa. Comum no BMX, MTB e Motocross.

Rolinho: Aparelho dotado de cilindros onde o ciclista apóia as rodas da bicicleta para aquecer o corpo sem sair do lugar. Muito usado por atletas de ciclismo antes de largarem em provas de contra-relógio, por exemplo.

Rotor: Sistema de freios utilizado em bicicletas próprias para a prática do bicicross, Dirty Jump e Free Style. Consiste principalmente em uma peça giratória no conjunto de direção com cabos independentes que é acionado quando o manete é pressionado. O rotor permite que o piloto rotacione o guidão à vontade. Utilizado apenas para o freio traseiro.

RPM: Acrônimo de Rotações Por Minuto, ou seja, número de giros alcançado em determinado momento.

S

Sapatilha: Calçado especial para pedalar. Possui sola rígida e encaixa-se em pedal específico. Disponível em modelos próprios para as mais variadas modalidades.

Single Track: É uma trilha onde só há espaço para passagem de um ciclista, não sendo possível fazer ultrapassagens.

Slick: Tipo de pneu com superfície lisa, sem os cravos de proteção. Esse tipo de pneu é o preferido para rodar em asfalto, devido a sua durabilidade e desempenho.

Soft Tail: Significa “rabo macio”. Tipo de quadro amortecido com pouco curso. Tem o objetivo de diminuir suavemente os impactos sofridos pela parte traseira. Existe como alternativa à full suspension.

Spinner – (do verbo inglês to spin = girar): Estilo de pedalada baseada em marcha leve, com alta rotação das pernas e velocidade constante. Comum entre os velocistas e montanhistas.

Speed: São bicicletas feitas para velocidade. Bicicletas speed são mais leves que outros tipos, além de terem uma arquitetura voltada para o formato aerodinâmico.

Sprint: É o ato de levantar-se do selim para pedalar com maior força e aumentar a velocidade. É uma atitude comum a todos os ciclistas, pois é feito em várias ocasiões como subir ladeiras, largadas e chegadas ou simplesmente aumentar o ritmo.

Sprinter ou Sprintista: Profissional do ciclismo especialista em arrancadas de alta velocidade. Geralmente corre o percurso quase todo no vácuo do pelotão, guardando energia para a chegada, onde tem obrigação de ganhar a prova.

STI: Sistema de Transmissão Integrada: É um conjunto que compreende câmbios e manetes de freio. Utilizada nas bicicletas de ciclismo, entre as suas vantajosas características está o silêncio na troca de marchas – estratégia para fugas em pelotão. Outro sistema parecido é o Ergo Power.

Super-Man: Consiste em saltar de uma rampa e segurar o guidão e selim com as mãos enquanto o piloto fica esticado no ar. Manobra realizada em provas de Dirty Jump. Comum também no Motocross.

T

360º: Consiste em dar um giro vertical no ar. Se o piloto fizer a mesma manobra duas vezes, terá feito um 720º.

Tiro: É o sprint feito com toda a força que o ciclista conseguir imprimir. É também conhecido como fuga. Este tipo de atitude é feito, principalmente, quando o ciclista quer se desgarrar do pelotão.

Tubeless: Significa “sem câmara”. Aro especial que dispensa a câmara de ar. Semelhante às rodas dos automóveis modernos.

V

Vácuo: Ausência de ar no fundo de veículos ou pelotão. O vácuo ajuda a descansar, pois anula a resistência do ar e ajuda a manter o ritmo em pedaladas longas.

V-Brake: Sistema de freios em que as tamancas emborrachadas funcionam em forma de um quadrado. É a evolução do Cantilever. Por ser eficiente, é largamente utilizado no Mountain Bike, especialmente no cross country. Outro tipo de freio também bastante eficiente é o sistema à disco, cujas tamancas emborrachadas aderem-se ao disco metalizado. Tem a vantagem de dispensar o aro para frear, mas influi no peso da bicicleta. É usado principalmente em bicicletas de Downhill.

X

X: Significa cross. É usado para indicar esportes radicais variados, como exemplo: XC (cross country), BMX (bicicross), 4X (four cross), etc.

Fonte: http://www.pedalserrano.com/159833/11790.html

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s